Falta de diálogo é o principal problema enfrentando por casais; especialista ensina como construir uma relação mais compreensiva

Falar, mas nunca ouvir. Sentir, mas nunca dizer. Apontar erros, mas não mostrar soluções. Construir um relacionamento saudável não é uma tarefa fácil e dificilmente será uma missão de sucesso se faltar o ingrediente essencial: o diálogo.

Apesar de no mundo atual faltarem horas para concluir tudo que é preciso ser feito no dia, é importante reservar um momento para o compartilhamento de dores, sonho e anseios com o parceiro, garante o empresário a frente da marca Jovem Celebrante e especialista em relacionamentos Marco Aurélio. “Quando o casal não conversa, as brigas se tornam constantes, o que abre margem para o desrespeito”, aponta. 

Esse efeito em cadeia ocorre porque, ao optar por negligenciar assuntos, o casal acaba acumulando insatisfações e assuntos mal resolvidos, assim como os próprios sentimentos e alegrias que poderiam ser compartilhadas. “Isso gera um distanciamento do casal, que a apesar de conviver, não conhece ou sabe o que o outro pensa”, alerta.

Assim como um dia a falta de diálogo começou a ser uma constante devido a rotina, Marco Aurélio conta que para reverter o quadro é preciso transformar esse exercício de escuta do outro em um hábito. “Requer treino, respeito e paciência. Mas é a partir desses pilares que se constroem relacionamentos saudáveis e duradouros. O filósofo alemão Nietzsche, por exemplo, nunca se casou, mas existe uma frase que atribuem a ele que diz:  ‘Se quer alguém certo para casar, pense se na velhice, ainda serão capazes de diálogo’”, comenta o especialista. 

Aprenda a ouvir o outro

Em muitos casos, se apegar a um só ponto de vista ou a um ângulo da história é um erro comum entre conversas entre parceiros. “É preciso lembrar que vocês não estão disputando para ver quem é o certo ou o errado, mas buscando um denominador comum que ajude com que o casal, como unidade, vença a situação e tire aprendizados disso”, elucida Marco Aurélio.

Seu parceiro não é seu inimigo

Ao enxergar apenas o seu próprio sentimento, o parceiro pode ser injusto e até mesmo tóxico para seu companheiro. “Deve-se construir a ideia de que uma pessoa só não é sempre a causadora do problema. É uma soma de como essa relação se conduz. Lembre-se sempre de que seu parceiro não é seu inimigo e vocês não estão em uma guerra”, lembra. 

É preciso andar junto

Relações não podem viver de passado. É sempre bom atualizar conversas sobre coisas que já foram faladas, mas que possivelmente podem fazer parte de achismos do passado. “Acordos sempre devem ser revistos, reformulados e revalidados, de forma que o casal se prenda ao que faz sentido e não apenas pelo tempo. O processo de dividir a vida requer muito diálogo. É sobre conhecer e entender o outro, para dessa forma, ser apoio”, defende o especialista….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *