Cinco conselhos bíblicos para vencer momentos de crise como a pandemia do covid-19

A vida é cíclica, feita de altos e baixos, de momentos bons e momentos ruins. Logo, cedo ou tarde, todos nós estamos sujeitos a passar por momentos tanto de fartura como de dificuldades. 

Além da crise sanitária do novo coronavírus existe uma crise que tende a vir sobre todos no que diz respeito às finanças. Como consequência da quarentena que mudou totalmente a dinâmica de nossas vidas por causa da ameaça do novo coronavírus, muitos estão sofrendo os prejuízos relativos a redução drástica da atividade comercial e industrial. Empresários e investidores da bolsa estão perdendo grandes somas de dinheiro e por isso pais de família também perdem seus empregos e o receio que paira sobre suas cabeças é se terão condições de colocar o pão em suas mesas e sustentar suas famílias. 

Em meio a este cenário de desalento e incertezas causado pela crise, o escritor e influenciador, Antonio Junior, aponta que para estes tempos difíceis é possível encontrar conforto e aconselhamento de atitudes a serem tomadas para vencer a crise: “A Bíblia nos mostra, pelo menos, cinco princípios que podem nos ajudar a passar por esses momentos de uma forma mais tranquila. É possível sim superar esse tempo de crise e até mesmo prosperar, mas para que isso aconteça, precisamos aplicar essas lições com disciplina e, principalmente, sabedoria. E, antes de vermos quais são esses princípios.”

Confira os cinco conselhos bíblicos trazidos por Antonio Junior para vencer em meio à crise:

1- Esteja atento ao que pode acontecer no futuro

Ter uma boa fonte de renda que nos traga estabilidade financeira e que nos proporcione tudo o que queremos, geralmente nos deixa muito otimistas e isso pode ser prejudicial, pois o otimismo faz com que nos esqueçamos de que os dias difíceis poderão chegar. Por isso seja prudente como José, conforme relata a bíblia. Esse homem de Deus era governador do Egito e teve uma revelação de que a crise estava chegando e, por isso, levou a sério e alertou a Faraó: “Depois virão sete anos de fome. Então todo o tempo de fartura será esquecido, pois a fome arruinará a terra” (Gênesis 41:30).
Saber que tempos difíceis vão surgir, faz com que sejamos mais prudentes em nossos gastos, no modo de administrar o dinheiro. É comum gastarmos mais do que precisamos quando vivemos dias de abundância, e existem aqueles que fazem até extravagâncias, mas isso pode nos levar a um sofrimento maior quando a “fonte seca”. 

2) Tenha uma estratégia para encarar os tempos difíceis

Quando a época das “vacas magras” chegar e desequilibrar sua vida financeira, o que você fará? Como você agirá se você não voltar a trabalhar em breve e perder o emprego, se o seu salário for reduzido ou se não conseguir pagar suas contas?

José sabia exatamente o que fazer para enfrentar os dias de luta. Ele sabia que era preciso pensar sobre isso enquanto tudo ainda ia bem, para que a futura crise não tivesse um impacto tão negativo na vida do povo egípcio. Veja o conselho que ele deu a Faraó: “O faraó deve estabelecer supervisores para recolher um quinto da colheita do Egito durante os sete anos de fartura. Eles deverão recolher o que puderem nos anos bons que virão e fazer estoques de trigo que, sob o controle do faraó, serão armazenados nas cidades. Esse estoque servirá de reserva para os sete anos de fome que virão sobre o Egito, para que a terra não seja arrasada pela fome” (Gênesis 41:34-36).

É preciso manter o foco na administração dos recursos. Provavelmente eles devem ter feito a seguinte análise: “Quanto colhemos neste mês? Quanto vamos precisar para suprir as nossas necessidades? Quanto iremos guardar? Onde podemos cortar gastos desnecessários?” Saber administrar é um dos princípios para vencermos os tempos difíceis antes que eles cheguem.

3) Tenha uma reserva financeira

O Livro de Gênesis nos mostra que José usou o princípio da poupança para resolver o problema do Egito durante a época das “vacas magras” que eles iriam viver. Poucos dão valor em poupar seu dinheiro, mas isso é muito importante. Então guarde o máximo que você puder. Não importa se é R$ 10 ou R$ 50 por mês, mas guarde! O que você poupar hoje poderá suprir as suas necessidades amanhã. 

José definiu que o Egito poupasse 20% de tudo o que colhia. E esse é um ótimo número. Se você conseguir poupar 20% do que ganha, em cinco meses terá o equivalente a um mês de salário. Isso fará muita diferença quando os tempos de crise vierem. Então, tenha uma reserva financeira e você estará mais preparado.

4) Não seja uma pessoa acomodada

A fartura faz com que as pessoas fiquem mais relaxadas na administração do dinheiro. E José, mais uma vez, nos ensina a não sermos descuidados com os nossos ganhos. Mesmo durante os sete anos de “vacas magras” vividos com o povo do Egito, quando os celeiros estavam cheios por causa da poupança que fez, ele não deixou de trabalhar e aumentar seus ganhos. Veja o que a Bíblia diz: “Assim, José comprou todas as terras do Egito para o faraó. Todos os egípcios tiveram que vender os seus campos, pois a fome os obrigou a isso. A terra tornou-se propriedade do faraó” (Gênesis 47:20).

5) Ajude os mais necessitados

É muito comum na crise as pessoas pensarem somente em si mesmas, mas vemos na história de José que ele foi muito generoso com a sua família e também com o seu povo, livrando-os de morrerem de fome durante os anos de seca (Gênesis 45:7; 50:20). Veja o que a Palavra de Deus diz: “Há quem dê generosamente, e vê aumentar suas riquezas; outros retêm o que deveriam dar, e caem na pobreza. O generoso prosperará; quem dá alívio aos outros, alívio receberá” (Provérbios 11:24,25).

Isso mostra que não há problema nenhum em ser próspero, desde que isso não seja somente para alimentar o nosso ego. Jesus disse que é melhor dar do que receber (Atos 20:35).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *